18 julho 2007

Carta aberta ao meu dono

Querido Dono

Foi com grande tristeza que tomei conhecimento da carta pública que publicaste neste espaço. Pior, tive de ouvir pela boca da minha dona da tremenda humilhação pública que me fizeste passar.

Se não me estimas, há quem me estime! Há aquela senhora que diz que me leva para o Porto sempre que me vê, mas que nunca levou a verdade é essa... Mas há também a senhora do café que me dava pão até tu, SIM TU!, lhe teres dito para ela parar. Há as pessoas todas que passam por mim na rua e que se nota que me adoram!

E o que eu faço por ti! A energia que eu gasto cada vez que ficas fora de casa mais de 2 ou 3 minutos! As lambidelas que te dou nos pés, os mimos e as turrinhas que te dou só para que te sintas bem!

É esta a paga que eu tenho? Só porque uma ínfima percentagem das minhas cagadas não são onde deviam?! Quero saber o que é mais importante, o nosso relacionamento baseado num sistema hierárquico de respeito e amizade onde (ainda por cima) TU ÉS O ALPHA?! ou os pequenos deslizes onde terás de admitir tens quota parte de responsabilidade?

Posso não ser grande cão, mas também deixa estar... tu também não és grande dono!

Assinado
Giga

p.s.: Vamos à rua?! Vamos? Vamos?! Vamos à rua!! Vá lá! Vamos à rua!

2 comentários:

Raistlin disse...

Sempre pensei que os animais falavam a cantar e principalmente em inglês. Raio dos filmes da Disney, a deseducar o pessoal.

KosmiCKhaoz disse...

A disney é o Diabo!!! (Já devem ter visto o filme no youtube sobre isso certo?