13 março 2008

Vais falhar...

Pessoal, Game Development ou Trabalhar em Casa? Em qual deles se encaixa melhor esta blogada? Ponho em todos os tags e pode ser que seja útil a alguém.

O assunto aqui é no entanto simples, picar-vos o miolo! Porquê? Simplesmente porque acho que existe um pressuposto errado na definição de sucesso. Assume-se que sucesso é o contrário de fracasso e eu acho que sucesso é simplesmente fazer o que tem de ser feito, atingir um resultado, um objectivo, basicamente: fazer. Ora assumir que o sucesso é algo triunfal e gigantesco é meio caminho para um enorme fracasso, quando na verdade o fracasso é tão pouco dependente de nós e tão dependente dos outros que a desmotivação provocada pelo mesmo é suficiente para se redefinir sucesso. Sucesso é fazer o que está ao nosso alcance. Fracasso é não fazer nada.

E como é que eu vos pico o miolo? É simples: eu acho que TU que me estás a ler vais falhar. Porquê?

Porque culpas os outros por aquilo que não fazes.
Porque achas que precisas de meios que não tens.
Porque te queixas em vez de resolveres.
Porque encontras problemas em vez de soluções.
Porque não tomas decisões.
Porque deixas que as tomem por ti.
Porque não assumes as tuas responsabilidades.
Porque não queres responsabilidades.
Porque é mais fácil desistir.
Porque é mais difícil fazer.
Porque é mais fácil começar do inicio.
Porque é mais difícil completar o que vai a meio.
Porque és pobre de espírito.

Queres sucesso na óptica definida acima? Simples, traça um plano e executa-o até ao fim, no entanto, sê maleável quando necessário. Depois risca uma a uma da tua forma de estar cada uma das linhas escritas acima e lembra-te que sucesso é fazer algo, não é fazer algo grande. É melhor ter algo pequeno concretizado do que milhares de enormes planos a meio, na verdade, nem isso, não é?

Ultima dica para o sucesso, não proves a mim que és capaz: prova-o a ti. Espero que esta blogada te tenha motivado a fazeres algo em vez de falhares.

9 comentários:

Mestre do pito disse...

umas sabias palavras que sairam da boca do Pedro Costa foram: dez jogos inacabados nao representam um jogo acabado. por a primeira metade do desenvolvimento é a parte gira. a segunda é quando tu tens que acarretar com as borradas que fizeste na primeira. e até se ter passado por isso, nunca se pode dizer que se consegue fazer um jogo até ao fim.

creio que todos concordamos que há algo de verdade nisto.

Vlad disse...

Há jogos acabados, podem é não estar acabados como nós queremos :D

"C.G." disse...

E o mestre falou mais uma vez.

Wise words.

"C.G." disse...

Para acrescentar.

O fracasso é algo mais natural do que se pensa, e admitir o fracasso, compreender o errado, estudar o problema, voltar atrás se necessário e superar o fracasso, é um passo em frente para o sucesso.

Tiago Sousa disse...

O sucesso para mim está no ultrapassar de metas/barreiras, se conseguir ultrapassar o que me propus, então para mim o que fiz foi feito com sucesso. A dificuldade nisto tudo está em estabelecer a meta, não pode ser demasiado fácil senão não é um verdadeiro desafio, não pode ser demasiado difícil que se torne impossível e desmotivador.

NunoPinheiro disse...

Penso que tentar fazer algo impossivel, e acabar por desistir é ter sucesso desde que tenhamos aprendido algo que nos vai dar ainda mais sucesso.
Para mim ter sucesso é olhar para um pequeno projecto e achar extraordinário. Não o resultado final do projecto em si, mas sim o modo como aplicamos os nossos conhecimentos/capacidades. Ter sucesso é evoluir, notar que evoluimos, gostar de evoluir e continuar no processo de evolução. (sim, eu penso que vou acabar por ser um elfo ou qualquer outro tipo de ser superior:P)

KosmiCKhaoz disse...

nuno, desta vez vou discordar em grande contigo!

Eu tinha a tua ideia até ter acabado (a sério e não só algo que funcione) o primeiro jogo! Depois percebi que, mesmo com muitos anos a "ter sucesso" começando e não acabando, afinal não tinha aprendido assim grande coisa, pensava que sabia e isso é muito diferente de saber realmente...
Essa é a definição de sucesso de um professor catedrático... no mundo a sério, das empresas, ou consegues fazer as coisas ou estás arrumado!

Quando fores procurar emprego e disseres: "tentei fazer isto, aquilo, etc, e mais qualquer coisa" e te perguntarem: "então mostra lá o resultado!"... vais perceber que estás muitos anos atrás de pessoas que se dedicam realmente a um projecto ;)

Enquanto estás numa fase de aprendizagem... isso é quase correcto, mas acredita, por experiência própria, não te vai levar a lado nenhum! Quando estás no GameDev a sério (comercial) esquece os projectos inacabados!
Se estavas a falar de realização pessoal e projectos pessoais... não acabá-los e passar para o próximo só porque achas que já aprendeste o suficiente com o anterior, só te leva a um sítio... um dia vais olhar para trás e perceber "pera lá! Não tenho nada de que me orgulhe realmente e que possa mostrar a todo o mundo! Só umas experiências aqui e ali..."
Mais uma vez repito, eu era assim e a minha vida só deu uma volta enorme (para melhor) a partir do dia em que acabei um pequeno protótipo, nada de interessante para pessoal experiente, mas foi aquilo a que me propus fazer (a mim e outras pessoas ihih)!

Eu sei que neste momento não vais conseguir acreditar em nenhuma destas palavras, até te digo mais, segue como estás agora ;) vais mesmo ter de aprender por ti! A única coisa que posso desejar é que não seja tarde demais ;) e que percebas que, o mais difícil não é dominar a técnica e tecnologia ;)

---

Quanto à cena do pedro costa, aquilo pelo qual nos obrigam a passar para ter um jogo comercial acabado é de tal forma exigente que realmente só depois do primeiro é que se percebe o que é um jogo! Até lá "são trocos" (expressão do Sr. Dr. Vlad :P)

----

Para terminar... o quanto me arrependo de ter tido tanto sucesso a fracassar no passado! LOL

Vlad disse...

Estes dois últimos comentários fazem parte do processo (chamemos-lhe assim) de aprendizagem.

Não há problema em sentirmos realização em algo que os outros não consideram importante ou inconsequente, desde que se compreenda que no futuro vai ser mais e mais e mais exigente.

Além disso, estamos a falar de gamedev e o propósito da blogada era mais abrangente. Na verdade, gamedev é muito mais exigente do que qualquer outra coisa que tenha feito até hoje, mas, estranhamente, muito mais descontraído. Mesmo como hobby, o intervalo entre falhas é muito inferior, suspeito que porque a tecnologia comercial é ainda adolescente e carece da maturidade das outras áreas de TI.

Mas é muito mais fácil falar com outras pessoas e obter o verdadeiro conhecimento técnico, que, noutras áreas ligadas às TIs é quase criptico e secreto. Isto acontece porque quem já passou a ondulação e se encontra no mar (hobby ou profissional) retira verdadeiro prazer do meio dos problemas.

Mas também por isto, há demasiado facilitismo e desculpabilização no gamedev. Toda a gente tem projectos falhados e inacabados e é sempre culpa dos outros ou de um evento, nunca nossa e isso é sinal de fraqueza e quanto mais exigente é o meio, mais a fraqueza é um defeito a combater.

A frase do Pedro Costa... é a única verdade absoluta que acredito sobre gamedev. Já questionei todas as outras e encontrei soluções, teorias e práticas diferentes, essa, não consigo, é simplesmente verdade.

Mestre do pito disse...

Eu pa mim a maneira de chegao ao bom sucesso é seguindo a estrada nacioanl 109 entre Morros e a Lomba do Poço Frio e virar à esquerda assim que aparecer a placa a dizer Pedroso. depois é seguir em frente até se ver a praia.