08 maio 2008

Faltam 12 dias

Todos os dias aumentam os sinais de alerta. Muitas tarefas que, ao serem executadas, me atiram à cara um facto óbvio: vou ser pai... não é que não seja já, mas... ainda não é mesmo "a cena".

Pintar um quarto, receber mobília, ir escolher tapetes e cortinados. Ver quais são os tons de laranja que ficam bem com os tons de verde... hmmmmm... e esta, muito divertida: tentar entender qual o tamanho das fraldas que um recém-nascido precisa... eu sabia lá que haviam fraldas de tamanho diferente!

Nada disto no entanto me fez sentir pai. Nada... todas estas tarefas passavam por mim apenas e só para serem cumpridas na exacta necessidade do momento. Era irrelevante se eram ou não relacionadas com a minha filhota.

Mas há dias, quando anunciei a data do parto, fui ao hospital onde vai nascer o rebento. Ver o hospital já foi mais... coiso... sei lá...

E hoje de manhã, descontraidamente, fui visitar o infantário onde vai ficar a minha princesa. Como diria um qualquer inglês "Now THAT was a reality check!" até porque eles têm expressões bem giras para quase tudo, com a excepção quissá do "lambe-me os truços!" Ver as salas, crianças e bébés por todo o lado, a alegria, a excitação... vi crianças a darem os primeiros passos, a rirem.

Foi simplesmente realidade a mais para mim e tive de manter um sorriso palerma e um nó na garganta até voltar ao carro. Faltam 12 dias... e hoje a minha paternidade deixou de ser uma projecção dos que me rodeiam em mim, para passar a ser parte da minha identidade.

Não sei como se sentiram outras pessoas na minha actual situação, mas isto é uma altura quase tão estranha quanto a adolescência, mas sem os episódios de parvoeira.

6 comentários:

Um dia vamos conseguir!!! disse...

Bolas que alegria ter noticias vossas, desde o lanche do Vasco da Gama que nunca mais soube nada de voces....alias tenho boas notias tb conseguimos o nosso positivo!!!!
beijocas
Patricia

Vlad disse...

:) Fico muito feliz!

Bunny disse...

Adorei o teu blog!
Desejo-vos as maiores felicidades!

Um beijinho para os 3, de alguem que tambem espera há 5 anos pelo milagre :)

Rita

Mestre do pito disse...

"sem os episódios de parvoeira"

ahah, vai acreditando nisso que vais longe. os sucessivos posts no teu blog mostram que ainda te faltam uns bons anos até te passar a parvoeira. acho que a parvoeira de uma pessoa so acaba, quando a do filho/filha se torna mais sonora que a nossa propria.

mas enfim, se ir ao infantario te deu um abanao, espera quando tiveres a miuda nos braços que tu vais ver o que é!!! nao que eu ja tenha tido essa sensação, mas ja ma descreveram de maneiras muito mais incriveis do que a tua ida ao infantario!
INFANTARIOS É PA CRIANCINHAS!!!

bolas... isto faz demasiado sentido para ser uma boca...
oh well...
lambe-me os truços!

clara neves disse...

Já tinha uma vez referido que o esperar um filho provoca-nos sensações indiscritíveis que tu até exprimes muito bem.
Posso-te dizer que quando a tiveres nos braços, será de certeza,um momento mágico! Depois dirás.
Quanto a episódios de parvoeira, terás muitos sem dares por isso, mas isso também não interessa nada! :)

JD557 disse...

Estás preocupado por te sentires na adolescência sem parvoeira?

Eu se fosse a ti preocupava-me era com aturar a tua filha quando chegar à adolescência COM parvoeira.
Mas não te preocupes, ainda vais ter direito a um grande "aquecimento" antes disso. :P

Vá, parabéns, espero que corra tudo para o melhor.
E ensina-a a falar depressa, quero ouvi-la a dizer "Spoing!" :)