04 abril 2008

When the going gets tough

Admito que julgava que quando saísse o Balloon Bliss iam acabar as noitadas e o excesso de trabalho. Mais do que admitir, tinha reservado a mim mesmo o direito de poder ter um horário definido, de poder reger o meu trabalho sob os principios que defendo e que promovem vários valores como a família, o descanso, a felicidade laboral and so on.

Se é verdade que concluir e publicar o Balloon Bliss nos deu uma experiência de valor incalculável, deu-nos por outro lado um conjunto de tarefas que, como tem sido costume na minha aventura pelo gamedev, não previ. Como já devem ter visto, tenho muito orgulho da minha experiência profissional, mas é tudo tão incrivelmente diferente... o negócio, os canais, a gestão... tudo o que conheço tem vindo a ser calmamente readaptado à esta realidade tão díspar da que sempre trabalhei. São os contratos para rever, as localizações para tratar, os contactos para realizar, dezenas de follow-ups, isto sem contar com o que já previa, a burocracia da contabilidades e dos bancos e das finanças etc.

Como é que se resolve isto? As opções são tristonhas, infelizmente. Ou dedico mais tempo à empresa e perco tempo para o que me dá gozo, ou dedico mais tempo ao desenvolvimento e o trabalho da empresa atrasa-se ou simplesmente acumulo trabalho e não raras vezes atrasos de planeamento e se há coisa que me BLODE! são atrasos no planeamento. As soluções fáceis passariam por contratar alguém ou para a gestão ou para o desenvolvimento, mas a verdade é que não quero largar nenhum dos dois. O desenvolvimento porque foi por ele que tomei a opção do gamedev e a gestão porque não conheço ninguém que conheça a burocracia e o negócio ao mesmo tempo.

Quer dizer... conhecer até conheço, mas têm as suas próprias empresas de gamedev, não me parece boa ideia tentar contratá-los. Isto para não falar que para contratar é preciso guita!

Sobram os meus adorados sócios que se multiplicam em ofertas de ajuda, mas a verdade é que é tão importante eles não terem de se preocupar com isto e fazerem o que fazem com a excelência como o fazem que seria contraproducente aceitar essa oferta.

Mas sou daqueles gajos que acredita que um problema se caracteriza pela existência de pelo menos uma solução, portanto tenho de juntar às minhas tarefas que a tenho de encontrar. Serviu esta blogada para organizar as minhas ideias e largar um desabafozito... já passou, volto para o próximo jogo. ;)

4 comentários:

WhiTdeMoN disse...

Será a maldição de Gamedesigner que acumula funções a mais...?

Vlad disse...

Sinceramente, não acho que seja isso. O único impacto no e do design é a criação de documentação.

Tudo o resto relacionado com design é mto pacifico.

KosmiCKhaoz disse...

Acho que o problema aqui não é o design... mas o facto de o Vlad estar a gerir tudo o que é relativo às "burocracias da empresa".

Aproveito para felicitar o Vlad pelo excelente trabalho que está a fazer em todas as suas responsabilidades ;) e acredito que não tem sido mesmo mesmo nada fácil. Estou cá para o que for preciso, mesmo que seja só ouvir uns desabafos ;)

Vlad, um parabéns lamechas pá!

clara neves disse...

Acho que os parabéns nunca são lamechas quando merecidos. Parabéns ganda Vlad!!Mereces. E diria mais, mereces mesmo!!

Já agora aproveito para dar os parabéns a toda essa pequena, mas grande, grande equipa!!! :) :) :)