07 janeiro 2008

Do Chuckie Egg ao God of War

Querem saber qual é um dos meus maiores defeitos enquanto gamer? Sou extremamente resistente à mudança! Pronto, já admiti! Se não houver qualquer coisa que me leve a considerar uma mudança como algo extraordinariamente positivo... provavelmente não estou interessado. Se esta postura já me trouxe resultados muito positivos a vários níveis, no que toca à jogatana, isso levou-me a ignorar alguns aspectos do mundo dos jogos.

Ora quando toda a gente tinha um Spectrum eu tinha um Timex. Quando toda a gente tinha Amigas, eu passei para os PCs e neste caso estava nitidamente a perder, mas por pouco tempo porque os PCs continuaram e os Amigas kaput. Ou seja, eu comecei nos Chuckie Eggs e passei directamente para os FIFAs sem passar pelas versões refinadas do Another World e do Panza Kick Boxing. Não muito tempo depois do Amiga começar a perder fãs apareceram as placas gráficas Vesa Local Bus e de repente o PC era o expoente máximo dos jogos.

Por esta altura um amigo levou a minha casa uma Playstation, a original. Lá joguei pela primeira vez Internation Superstar Soccer e Fight Night e raios me partam se eu não achava que tinha muito melhores gráficos no meu PC, com loadings de longe mais pequenos e com todo o potencial de um teclado... para quê pads?

O primeiro grande jogo: Diablo. O segundo grande jogo que bateu o primeiro: Diablo 2. Muitas franchises e IPs pelo meio, como os NBAs, os NHLs, os CMs, os NFSs, os PESs, os FIFAs até que chegou o terceiro grande jogo que bateu o segundo: World of Warcraft e malta, digam o que quiserem, é um jogão. Mas também foi o jogo que estagnou o mercado durante um par de anos em termos comerciais e vamos ver quantos mais em termos de inovação. É que com um jogo como o WoW a monopolizar muitos hardcore gamers, é natural que as editoras joguem pelo seguro.

Anyway... onde ía eu? AH! Decidi deixar de resistir à mudança, mas como é meu hábito, deixei de resistir numa atitude conservadora e comprei uma PS2... é verdade, ah e tal, next gen. Certo... next gen... mas aqui o "je" não só não está habituado a consolas como não pode andar a comprar jogos à maluca e gastar uma pipa de massa numa consola e outra pipa nos jogos, meh... para já não.

Então veio uma PS2 cá para casa e de repente entendo o que há muito tempo me dizem... é um mundo à parte e o God of War é o jogo que destronou na minha lista o WoW. É uma experiência como eu nunca vi. É um jogo enorme, poderoso, bem contado, bem desenhado, bem... tudo. E pronto... entrei no mundo das consolas... o que se segue?

6 comentários:

elf_maniac disse...

Jogos para telemovel, fraldas e muito mais:P

Pyro disse...

Por acaso tou indeciso. Joguei WOW e nunca joguei god of war.

posso falar pelo WOW e dizer que o jogo está mesmo fabulástico, blodasse! Aquilo é um vicio total!É realmente um jogo bem conseguido.

God of war parece-me muito bom. tive a ver imagens no YouTube e aquilo parece estar um mimo de jogo.

Neste momento jogo Prince of Persia. Comprei a Triologia e tou a dar uso à PS3 para a jogar. Depois de acabar, vou certamente comprar God Of War. Pareceu-me mto bom.

Depois sim poderei concordar ctg (ou não) e dizer que god of war consegue destronar (ou não) o WOW como Rei dos jogos.

Raistlin disse...

Ja que estas na PS2 tenho de dar as minhas dicas:

-Metal Gear Solid 3 (experiencia cinematica, ambiente organico)
-Shadow of the Colossus (este nem digo nada, experimenta apenas e logo falamos =) )
-Okami (mais um em que a arte tem um papel em diferenciar o jogodos restantes)
-Timesplitters2 (muito fixe em multiplayer, FPS com sentido de humor)
-Devil May Cry (o God of War tem muito de Devil May Cry por isso pode nao te soar "a novo" mas na altura foi)

De certeza que ha muitos mais mas nao quero chatear.

Nao jogo wow porque se comecasse nao ia conseguir parar. Quando e que paramos de jogar um jogo que nao tem fim?

JD557 disse...

Sinceramente nem gostei muito do God of War... não digo que seja mau, mas não vi nada assim de "especial"... :S

Jogos para PS2 que acho que valem a pena ter:
Metal Gear Solid -Boa história, dava mesmo para um bom filme;
Shadow of the Colossus - Este é... diferente... Foge ao Game Design habitual;
Devil May Cry - Porreiro para descarregar os nervos, especialmente o 3.
Disgaea: Hour of Darkness - Só o facto de ser um Tactical-RPG (Adoro esse tipo de jogos) sem limite de níveis e com muitos jobs já é uma boa razão de compra. Para além disso, até gostei da história.
Monster Hunter - Tem um modo on-line espetacular... só tenho pena de agora não ter o modem ligado à PS2.

E agora não me lembro de mais nenhum. :P

Vlad disse...

Vocês são uns porreiros! :)

VirtualFM disse...

Viva!

Gostei do teu percurso. Tb sou um velhote que passou pelos Spectrum e Commodore 64, tive uma epifania qdo vi pela primeira vez um Amiga, e apesar de tb ser resistente à mudança (idade pesa!) acho que sou um pouco menos que tu! Em relação a consolas, não lhes vejo utilidade (sempre que sai uma nova dizem que vai destronar os PCs, 6 meses depois - ou menos! - as capacidades dos PCs superam-nas em tudo. Next-Gen?! Next-piece-of-junk!).

Portanto, em termos de jogos tão-originais-que-se-sente-o-cérebro-a-expandir ou que trazem algo de realmente inovador/revolucionário eu diria: Half-Life (1 e 2), Portal, Oblivion, Crysis. Em termos de melhorias de conceitos existentes, e não tendo tempo livre que justifique uma assinatura para jogar EVE, anseio pelo dia em que se faça um Elite IV!

PS: A única coisa que invejo das consolas é o Final Fantasy, mas refreio-me de comprar uma por causa disso porque sei que nunca teria paciências para jogar um do início ao fim.