11 maio 2007

Entre a genialidade e a aparência

Volto novamente ao tópico gamedev, desta vez para exorcizar os demónios que estão na minha cabeça relativamente ao gamedev em Portugal. Por um lado existe uma opinião geral de que não há industria de desenvolvimento de jogos em Portugal. Não concordo com esta opinião. A industria lançou-se, na minha humilde opinião, o ano passado. Quando estive no almoço do portal GameDev-PT o ano passado assisti a essa mesma pergunta: "Quem são os profissionais?" e o receptor da pergunta, embora conhecedor do meio, abanou entre nomear profissionais e os semi-profissionais, não fosse dizer algo de errado.

Mas entre o ano passado e este ano foram colocados à venda ou pelo menos criados com profissionalismo um número razoável de projectos: Sudoku for Kids, Lumen, Aquapark, Orion's Belt, Live2Play, Almansur, Tranceball e Steam... espero não me ter esquecido de nenhum. Os produtores destes jogos continuam, tanto quanto sei, a trabalhar em novos títulos ou a evoluir as suas plataformas e ofertas. E ainda temos o mega-projecto made-in-Portugal: Ugo Volt. Sobre este não tenho muito a dizer, que não o meu desejo de que seja tudo aquilo que os seus criadores e equipa de desenvolvimento sonham, porque o sonho deles, é o nosso, enquanto developers e players. Existem novas equipas, ideias e produtores na calha que provavelmente irão ver a luz do dia e mostrar o que valem ainda durante 2007. Por isso, a industria existe e está a evoluir. Aqui reside a genialidade do gamedev português. Na qualidade e há muita, espalhada por essas empresas e equipas.

Outra opinião generalizada é que a industria é obra da Aproje - Associação Portuguesa de Produtores de Jogos Electrónicos. Neste ponto em particular, não só não concordo, como é simplesmente mentira. A Aproje, por muito boas intenções que tenha tido na sua criação vê-se hoje em dia fragilizada. É notório que a comunidade está em desacordo com as linhas que regem a Aproje neste momento e os sócios fazem parte da comunidade. Dos projectos megalomanos da Aproje apenas se têm constatado falhas organizativas, constantes alterações ao discurso e um enorme silêncio relativo às promessas constantes que não são cumpridas, aos prazos que não são respeitados e ao pouco profissionalismo que é demonstrado. A Aproje é a face da aparência do gamedev português. Não oferece nada, só uma fachada. Quando se olham para os nomes que constituem os extensos conselhos, falta a massa critica que tanto se fala para Portugal. Não reconheço, nas pessoas que dirigem a Aproje, qualquer projecto concretizado na área dos videojogos. Tudo é aparente, nada está concretizado.

Deve-se no entanto gabar a Aproje pela criação da Gameinvest, uma sociedade de investimento para a criação de obras interactivas electrónicas ou o apoio às mesmas. No entanto a Gameinvest não deu, até hoje e que eu tenha conhecimento, qualquer fruto, ao passo que outros, no mesmo tempo e sem investimento, já produziram. O que tenho visto dos futuros jogos cuja PI ou parte dela foram adquiridos pela Gameinvest como forma de financiamento, são sempre as mesmas screeshots, diga-se até, de qualidade duvidosa e promessas de altas contratações, super-hiper-mega produções e distribuição no estrangeiro. Bem sei que estou longe e não tenho os dados todos, mas na minha opinião, os developers venderam a sua PI ao diabo e estão ou vão pagar o preço de tal venda. Espero pelo menos que tenham sido bem pagos e que com esse dinheiro possam, agora ou no futuro fazer uma aposta pessoal no que querem concretizar... sem aparências, só com genialidade.

No entanto, os títulos e empresas que falei à pouco não produzem ou não iniciaram produção com dinheiro da Gameinvest.

A verdade é que dos produtores portugueses só vejo criticas ou indiferença à Aproje. A genialidade critica ou ignora a aparência. Na Aproje não se encontra, que eu saiba, ninguém que produza jogos... e se há digam-me onde estão. E não, em forma de curriculo não vale, digam-me lá onde está o download da trial. Jogos como os que vejo nos currículos tenho pelo menos uma dúzia e no entanto não se conhece nenhum jogo em que eu tenha participado, pois não?

Quero deixar os meus parabéns a todos os que fazem jogos. Bons ou maus, pouco interessa, mas façam-nos que já são bem melhores do que aqueles que só falam deles.

6 comentários:

Raistlin disse...

Até que enfim leio algo que reflete o que eu penso sobre o que tem sido a indústria de videojogos em portugal de há um ano para cá. Concordo com tudo, principalmente com o final.

Quote foleira de música country mas que me ocorre sempre que penso na APROJE:

"You are what you do and if you don't then you ain't"

Vlad disse...

É importante é que se levantem mais vozes e que se mostre onde está quem faz até a Aproje voltar a ser dos developers.

KosmiCKhaoz disse...

E pimba!!!

Penso que a única coisa que faltava a Portugal (como indústria de videojogos) era maturidade e compreensão de como as coisas funcionam. Até agora (1 ano, 1 ano e meio atrás) a produção era maioritariamente feita por pessoas de boa fé e muita vontade/gosto por trabalhar na área. Isso mudou e continua a mudar...

Penso que nos últimos tempos têm aparecido boas amostras do que é e pode vir a ser o GameDev Português e sim, a APROJE não contribuiu em nada para que tal acontecesse. Parece-me que se estão a aproveitar um pouco do que os outros fizeram para ficarem com a fama...

Eu ainda tenho esperança que Portugal possa vir a ser para o GameDev de hoje o que a França foi à +/- 14 ou 15 anos atrás...

Só não podemos perder é o espírito de apoio entre equipas, isso é muito bom e vantajoso!!!

E pronto... isto é uma das minhas formas de pensar e um dos temas que gosto de falar... ainda não tenho bem definida a minha perspectiva da coisa, por isso é sempre bom ouvir/ler as opiniões de outros :D

Vlad, tás lá!!!

KosmiCKhaoz disse...

"a produção era maioritariamente feita por pessoas de boa fé e muita vontade/gosto por trabalhar na área. Isso mudou e continua a mudar..."

Raios, isto pode ser mal entendido, o que quero dizer com mudar é que agora têm boa fé, vontade e PROFISSIONALISMO!!! :D

GhostManZero disse...

Concordo contigo sobre tudo o que dizes. Eu mesmo estou a pensar em "sair" da APROJE, mas ainda tenho de ver como e que devo pedir para ser removido :(

Btw, tive a adicionar uma link para o teu blog no meu blog, desculpa demorar tanto! :(

Vlad disse...

Estás na boa!